Entenda a gestão por competências no setor público e seus desafios

Entenda a gestão por competências no setor público e seus desafios

Entenda a gestão por competências no setor público e seus desafios

O funcionamento de órgãos públicos precisa de melhorias, tanto na área de infraestrutura quanto na de gestão. Em relação ao segundo caso, a gestão por competências no setor público é um exemplo de ação capaz de trazer muitas dessas melhorias.

No entanto, assim como qualquer mudança, a implementação desse tipo de prática também carrega seus desafios. É preciso então conhecer essa prática, entender como ela funciona e por que beneficia o setor público e, principalmente, como ela pode ser implementada.

Para facilitar, preparamos este material com cada um desses itens, a fim de explorar bem o conceito e alertar quanto aos desafios que o setor tem e que demandam esse tipo de solução. Acompanhe a seguir cada um dos tópicos e conheça as melhores práticas em gestão por competências!

O que é gestão por competências no setor público?

Assim como uma empresa, o órgão público depende de seus servidores para prestar bons serviços. Com base nisso, o foco da gestão para competências visa a trabalhar o que é necessário para um órgão desempenhar a sua missão.

Como definição, podemos dizer que se trata de uma forma de olhar para a gestão de pessoas pelo foco das competências necessárias para atingir objetivos a curto, médio e longo prazos. Essa visão traz mais produtividade ao setor público, visto que vai direto ao ponto, privilegiando aquilo que é necessário para alcançar um bom nível de eficiência e sinergia entre as equipes.

Mapeamento de competências

A partir desse olhar diferenciado para a força de trabalho, é preciso então começar a destacar as competências necessárias para o órgão, de modo que elas sejam identificadas e trabalhadas com os servidores.

Incluem-se aqui os aspectos comportamental e ético do servidor, uma vez que são elementos essenciais para uma boa atuação com a sociedade. Mapear competências é o primeiro passo para entender o que a organização precisa para atingir o nível de excelência que deseja.

Qual é a importância desse conceito para o setor público?

A administração pública está passando por transformações devido a uma necessidade de melhorar o seu desempenho, trazendo mais eficiência, transparência e efetividade para a sua atuação. No cenário atual, empresas privadas e públicas estão em busca de mais produtividade, aliando essa busca ao aumento de consciência acerca da missão da organização e do que é esperado deles.

Com isso, se tornou mais necessário do que nunca estruturar um sistema que ofereça essa transparência entre servidores, abrindo espaço para a prática da gestão por competência. A prática passa a fazer mais sentido conforme as instituições passam a trabalhar com maior senso de responsabilização. Além disso, esse olhar inclui a própria percepção do servidor sobre as suas condições de trabalho.

Qual é a origem desse conceito no setor público?

A gestão por competência é um tema recente no setor público e decorre principalmente da publicação de um decreto que inovou a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal da Administração Pública, o Decreto Federal nº 5.707/2006. A Gestão por Competências tem forte embasamento teórico na área de gestão, assim como experiência prática no setor privado.

Ao longo de diferentes experiências com a prática, conclui-se que se trata de um modelo de gestão estratégica fundamental. A partir dele, as instituições identificam as competências organizacionais que permitem o alcance dos seus objetivos, principalmente diante de todos os obstáculos presentes na esfera pública.

Que desafios fazem parte da gestão por competência?

Na atualidade, a palavra-chave de uma boa gestão na área pública está atrelada ao tema governança corporativa, sendo um dos caminhos, se não o único, para tornar o setor público mais eficiente e ético.

No contexto da governança, é essencial mobilizar habilidades, conhecimentos e atitudes dos dirigentes em prol da otimização dos resultados organizacionais. Para isso, as boas práticas preconizam que os membros da administração devem ter as competências necessárias para o exercício do cargo.

A proposta de uma governança corporativa na gestão pública tem entre seus princípios trazer para o setor eficiência e eficácia para melhor atender aos interesses da sociedade. Diante disto, não há como garantir o comportamento ético, íntegro, responsável, comprometido e transparente da gestão sem uma avaliação sistemática dos agentes públicos.

É importante ligar o tema avaliação por competência com governança corporativa?.

Sim, mas por quê? É somente porque o Tribunal de Contas da União (TCU) vem recomendando as empresas públicas a se movimentarem para implantar uma governança corporativa? ou porque a gestão por competência vem ganhando força na maioria das entidades públicas?

Os dois motivos são bastante relavantes e por si só já bastam para se pensar em implantar, mas há outros fatores também que devem ser considerados.

Com base nisso, há dois grandes principais desafios na viabilização de um ambiente propício para implementar a Gestão por Competências. São eles:

  1. balanceamento de poder e autoridade;
  2. mudança de cultura (gestão autoritária frente gestão compartilhada).

Em relação ao primeiro, o objetivo é tornar as relações mais transparentes, sem retenção de informações, já que isso representa em si uma supressão do poder de decisão. Já sobre a cultura, a gestão compartilhada é uma condição para a implementação desse tipo de olhar para o capital humano como parte essencial do funcionamento e das decisões estratégicas de um órgão.

A área de administração evoluiu e já entende que responsabilidade e autonomia andam juntas. Dar autonomia e senso de responsabilização ao servidor aumenta o seu engajamento, criando um elo entre o seu desempenho e a missão da instituição.

Como implementar esse tipo de gestão no setor público e garantir a sua eficiência?

Para garantir esse alinhamento entre o que o órgão público necessita e a competência do servidor, é essencial que as organizações estejam abertas a ouvir as partes interessadas (agentes públicos e instituição) para conhecer necessidades e demandas. Além disso, é vital utilizar ferramentas e métodos que possibilitem avaliar o desempenho e os resultados organizacionais.

Para que essa nova cultura funcione a favor da produtividade, devem ser privilegiados métodos transparentes perante suas equipes, prestando contas e fornecendo informações completas, precisas, claras e tempestivas ao objetivo e aos resultados de uma gestão por competências. Sem esquecer, é claro, que o foco é desenvolver, desenvolver e desenvolver, e nunca segregar e excluir.

Fazendo uma retrospectiva do conteúdo, o mapeamento de processos seguido de uma mudança profunda de cultura é o que vai viabilizar a gestão por competências no setor público. Assim, órgãos e servidores atuam de forma alinhada.

O Grupo Makiyama oferece um sistema de desempenho por competência com foco na administração pública. Entre em contato conosco e veja como funciona!

Dinamar Makiyama

CEO – Grupo Makiyama – RH (CKM Serviços, Enable People Service e Makiyama Informática)

Presidente do Instituto de Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos –Desenvolver RH.

Diretora Executiva da Black Diversity Talents

Conselheira da Faculdade Zumbi dos Palmares

Sem comentários

Cancelar